1. Pressure – tech-house/techno – 1999

    É engraçado como gostava de abrir algumas fitinhas com coisas inusitadas. Essa abre com ‘the prophets’ [...] , e depois vai uma sessão de User, Slam, e tudo que era techno percussivo da época.[ Eita, quase 10 anos atrás!] Termina com um clássico que o Raul Aguilera, DJ (e master-of-the-universe) em Curitiba me mostrou, o Gerd – “Arkest’s Blaze” , e tento mixar com I Feel Love, mas não dá tempo :)

    Outro dia, ouvi uma ótima: ‘Como assim, o Spark tocando minimal?!’. Ouça a segunda parte desse set, de 1999. Techno repetitivo, simples, líquido, como sempre gostei: G-man, Sterac, Hawtin, Female, etc, etc. Só porque me apaixonei por electro quando me mudei para o Rio de Janeiro, ouvindo aqueles sets maniacamente bem estruturados do Maurício Lopes, não quer dizer que tenha deixado de escutar minha coleção de disco-music, os technos mais pesados, música de macumba, tim maia ou qualquer outra coisa que eu curta. E, apesar de me rotularem como ‘dj de electro’ durante tanto tempo, quem tem um mínimo de conhecimento musical, sabe que tocava electro, techno, minimal, disco, house, sem preconceitos, numa mesma noite …